No dia 30 de março de 2016, membros da Motirõ Sociedade Cooperativa e associados da Associação dos Produtores Rurais do Município de Paranaguá - APRUMPAR realizaram no barracão da Igreja Maria Luiza a primeira Reunião de Planejamento para a Caminhada na Natureza – Circuito Serra da Prata que acontecerá no dia 24 de julho de 2016. Para a condução deste encontro, a equipe Motirõ realizou um estudo baseado na metodologia do Laboratório de Mudanças que teve como objetivo reconhecer a experiência da 1ª Caminhada na Natureza que aconteceu no dia 26 de julho de 2015, afim de levantar os principais problemas a serem superados para a realização da Caminhada deste ano.

A experiência da última Caminhada na Natureza foi retratada através de apresentação em power point, onde pudemos visualizar o decorrer de sua organização prévia; o dia da Caminhada, e o pós Caminhada na Natureza (avaliação). Contamos com fotos para relembrar estes momentos, e chegamos ao número de 31 atividades para a realização da Caminhada na Natureza (organização prévia) e 2 atividades de avaliação (pós Caminhada). O período desta organização foi de 08 de setembro de 2014 à 08 de dezembro de 2015.

Após a apresentação geral, o grupo foi dividido em 3grupos menores que responderam coletivamente a 5 questões com o intuito de avaliar a Caminhada na Natureza 2015 para melhor organizar a Caminhada na Natureza deste ano.

Para finalizar o Encontro, cada família levou um prato e partilhamos um maravilhoso café com as delícias e sabores da região.

Publicado em Organização Soberana

Se reuniram em assembleia no barracão da colônia Maria Luizaem Paranaguá nos dias 25 de novembro e 14 de dezembro os(as) associados(as) da APRUMPAR, juntamente a seus parceiros dentre eles a Motirõ, a EMATER e a Secretaria Municipal da Agricultura, Pesca e Abastecimento (SEMAPA), afim de debaterem pautas relativas à associação como a prestação de contas, as entregas do PAA e PNAE para o ano vindouro, a construção de seu novo barracão, a eleição da nova diretoria e o convite para visita técnica à Cooperativa Terra Viva no Assentamento Contestado na cidade da Lapa/PR.

A reunião do dia 25 foi iniciada com a prestação de contas, a qual foi organizada pela equipe técnica do Projeto Organização Soberana, acerca da associação referente ao período do primeiro semestre de 2015.Durante a apresentação dos dados financeiros, o coordenador do projeto Organização Soberana apresentou a metodologia que foi utilizada para a sistematização junto à diretoria e ressaltou a necessidade de se formarem novos associados para darem continuidade a este trabalho. Debateu-se também a função dos demais membros da diretoria, ainda mais pelo fato de a cobrança relacionada à prestação de contas geralmente recair somente sobre o(a) presidente. Foi explicada a função do(a) tesoureiro(a) e do(a) secretário(a), todavia salientando-se a importância da participação ativa de cada associado(a) para o sucesso deste empreendimento coletivo que é uma associação. Sobre este tema, ficou acordado que a partir do mês de dezembro será realizada uma prestação de contas mês-a-mês, a fim de capacitar novos associados para a gestão financeira da associação e para manter um acompanhamento mais atualizado referente às contas da associação.

Socializaram-se dados referentes aos programas governamentais que os(as) associados(as) atendem, bem como acerca da loja da APRUMPAR, que atualmente possui débitos referentes a compras realizadas por seus associados, que adquiriram produtos da organização, e que precisam ser pagas. Ficou decidido que após a reestruturação das contas será estudada alguma forma de beneficiarem-se os(as) associados(as) que participam das entregas de merenda escolar (desconto, parcelamento, subsídio, etc).

Na sequência Gustavo, agrônomo da SEMAPA, e Leo, agrônomo da EMATER, repassaram informações de como serão as entregas para o PAA e o PNAE em 2016, afinal muitos ali presentes nunca chegaram a realizar entregas e que passarão a fazê-las no próximo ano. Foram discutidas estratégias para garantir um melhor controle de qualidade dos produtos oferecidos e uma política para o controle de caixas plásticas, que durante o ano de 2015 foram perdidas durante as entregas. Avaliou-se que para o ano de 2016 será enfocada a qualificação do canal de comercialização governamental, de modo que posteriormente possam se utilizar desta experiência para acesso a novos mercados.

O próximo ponto de pauta foi à construção do novo barracão da APRUMPAR, sendo que o atual vice tesoureiro apresentou um breve croqui e os valores que serão gastos para tanto; os(as) associados(as) presentes decidiram pela construção na modalidade de mutirão, onde todos ajudarão com a mão de obra. A data ainda não foi definida, mas a construção deve ocorrer no mês de janeiro, antes do início das entregas para os programas governamentais.

Billidhol fez a entrega dos convites para a visita técnica que será realizada no dia 17 de Dezembro, explicando quais serão as atividades desenvolvidas no dia, tendo como destino a cidade da Lapa-PR, onde será visitada a experiência da Cooperativa Terra Livre no Assentamento Contestado.

Passando para a pauta da eleição da nova diretoria, o atual presidente reforçou a importância de se realizarem novas eleições, tendo como prazo máximo o inicio de janeiro, pois caso contrário a gestão da conta bancária da associação seria travada. O coordenador do projeto aproveitou para ler o estatuto da associação a fim de verificar os procedimentos para o processo eleitoral e os cargos que compõem a diretoria. Como encaminhamento da Assembleia foi acordado entre os(as) presentes que a eleição para a nova diretoria seria no dia 14 de dezembro.

Ao final da Assembleia, dois representantes do Banco do Brasil, pediram espaço para falar e esclarecer dúvidas sobre o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – Pronaf. Enquanto os(as) presentes assinavam a ata da Assembleia, a equipe fez entregas das camisetas e bonés do Projeto Organização Soberana aos(às) participantes que ainda não haviam recebido.

A segunda assembleia do dia 14 de dezembro também aconteceu no barracão da colônia Maria Luiza. O presidente da associação iniciou a sessão passando sua palavra ao coordenador do projeto, que explanou sobre a importância da adoção de novos procedimentos relacionados a gestão financeira. Apresentou novamente as principais responsabilidades dos cargos da diretoria e enfatizou a necessidade da responsabilidade compartilhada sobre a associação entre todos(as) os(as) demais associados para o bom funcionamento e exito da mesma. Posteriormente, apresentou o trabalho de sistematização dos dados financeiros do ano de 2015, realizado em conjunto com os membros da diretoria. Após a apresentação destes dados, os(as) associados(as) levantaram uma discussão sobre a necessidade de se controlarem melhor as vendas a prazo e de se buscar algum instrumento que oriente este tipo de transação, de modo que o pagamento destes débitos sejam assegurados. Foi levantada uma proposta sobre a possibilidade da concessão de uma bonificação aos(às) associados(as) que estão em dia com suas obrigações perante a associação. A diretoria da APRUMPAR, acolheu as solicitações e irá estudar qual a margem de desconto que seria possível conceder aos(às) associados(as) adimplentes.

Em relação ao valor arrecadado no exercício de 2015, foi relatado que o montante auxiliará na construção de um novo barracão para a associação, estrutura esta que é essencial para a melhor organização da comercialização dos produtos locais, assim como para o acondicionamento dos alimentos de forma adequada.

O coordenador do projeto Organização Soberana reforçou o convite para que os(as) associados(as) participassem da visita técnica à Cooperativa Terra Livre devido ao seu exemplo de abordagem comunitária na construção da cooperativa. Além disso, apresentou as atividades realizadas até o momento pelo projeto e falou sobre as ações que estão agendadas para o ano de 2016. Dando sequência iniciou-se o processo eleitoral, com a discussão sobre a eleição de uma nova diretoria. A candidatura se deu de forma voluntária, de modo que cada cargo ficou a disposição para candidatura. Após a candidatura para todos os cargos ser preenchida, foi aberta a votação para a constituição da nova diretoria, que passou a ser composta pelos seguintes membros:

 

  • Presidente-Darci Pereira Liriano

  • Vice-Presidente: Hermes Santana Andrioli

  • Tesoureiro: Guiomar Serafin

  • 2° Tesoureiro: Erwin Gestemberguer

  • Secretária: Vanessa Silveira

  • 2° Secretária: Eurenice Cândido

  • Dir. Patrimônio: José Becker

  • Dir. Programação: Doroti Celestino

  • Dir. Sócio Cultural: João Bonaldi

 

Para a composição do conselho fiscal foram eleitos o sr. José Waldenir da Silveira e a Sra. Viviane Gestemberger. Como principal compromisso, a nova diretoria tem a responsabilidade de conduzir a construção da nova estrutura da associação e ajustar os procedimentos da gestão financeira.

A Motirõ Sociedade Cooperativa felicita a APRUMPAR por sua nova diretoria e lhes deseja sucesso, além de oferecer todo apoio necessário nesse novo ciclo que se inicia!

Publicado em Organização Soberana

 O objetivo da visita, realizada no dia 18 de novembro, foi conversar sobre o Curso de Formação de Lideranças organizado pelo professor Roberto Martins, bem como constituir e fortalecer parcerias, presentes e futuras, em prol do desenvolvimento rural sustentável com base na agricultura familiar e na efetiva participação politica destes(as) agentes.

A conversa foi realizada entre a equipe técnica do Projeto Organização Soberana e o professor do Instituto Federal do Paraná (IFPR) Roberto Martins de Souza, Engenheiro Florestal e Mestre em extensão Rural, a fim de construir uma parceria para a realização das oficinas relacionadas à Formação de Lideranças, que faz parte de um dos objetivos específicos do projeto – Formação Sócio Política. A realização do curso está prevista para o próximo trimestre, e contará como participantes os associados da APRUMPAR.

Publicado em Organização Soberana

O intuito da oficina foi o de realizar um processo formativo junto aos associados no que diz respeito a gestão de uma associação e de uma cooperativa e suas principais diferenças em termos de natureza jurídica. A oficina, realizada em um barracão de igreja da Colônia Maria Luiza no dia 06 de outubro congregou, além da equipe do projeto Organização Soberana, mais dezoito pessoas, entre elas associados da APRUMPAR e seus familiares.

Durante a oficina foram apresentados os princípios e valores necessários para uma boa gestão dos empreendimentos de base solidária e as principais diferenças entre estas organizações e as de fim mercantil. Demonstraram-se os aspectos relevantes sobre a formação de uma cooperativa e ressaltadas as principais diferenças entre esta e uma associação, discutidos sobre os quesitos necessários para uma boa gestão de cooperativa e/ou associação, bem como as diferenças tributárias entre elas.

Por fim, foi realizada uma dinâmica conhecida como “Teia de Aranha” que demonstra a necessidade e a importância do trabalho coletivo e em sinergia. O objetivo da dinâmica foi ouvir as aspirações dos(as) participantes quanto as suas expectativas pessoais e com relação à APRUMPAR até o fim do ano. Usou-se um barbante, onde cada um pôde segurar uma parte e que ao fim resultou na constituição de uma ‘teia’ semelhante a da aranha, onde foi possível visualizar a importância de cada um(a) nos processos e para o todo, constatando-se que sozinhos(as) não conseguiremos chegar aos objetivos almejados.

Fazendo um balanço, a atividade foi muito positiva pois o objetivo de se constituírem espaços de socialização, diálogo, integração, aprendizagem coletiva e a construção de agendas em comumfoi alcançado.

Publicado em Organização Soberana

Durante o mês de maioo projeto Organização Soberana visitou estabelecimentos rurais das Colônias Maria Luiza, Santa Cruz e Morro Inglês associados à Associação dos Produtores Rurais do Município de Paranaguá (APRUMPAR), com o intuito de apresentar o projeto e sua equipe, bem como conhecer e cadastrar seus participantes.A ocasião proporcionou que algumas informações sobre as atividades desenvolvidas pelos(as) agricultores(as) pudessem ser levantadas, o que subsidiará as atividades do projeto. Dados como as culturas produzidas, a intenção da produção, tipos de canais de comercialização e suas problemáticas foram levantados.

Na primeira saída de mobilização, no dia 8, foram escolhidas as Colônias Santa Cruz e Morro Inglês. Neste dia foram visitados nove imóveis rurais, principiando pela estrada da Santa Cruz I e depois a estrada da Santa Cruz II. Na segunda saída, no dia 25 o destino foi a Colônia Maria Luiza. Observou-se grande quantidade de estabelecimentos rurais ocupados pela agricultura familiar, a qual produz uma grande variedade de alimentos, tanto para autoconsumo como para a comercialização, constando que nas localidades visitadas a produção inclui mandioca, pupunha, frutas como maracujá, banana caturra, banana da terra, hortaliças como alface americana, berinjela, pepino, couve, rúcula, cebolinha e salsinha, criações de galinha caipira e alimentos beneficiados como panificados, empadão e pastel.

Grande parte dos(as) agricultores(as) escoam a produção no município de Paranaguá, em diversas feiras como na Praça dos Leões, Aeroparque, Fernando Amaro, feira da Catedral e Ilha do Mel, programas governamentais como o PAA e PNAE, bem como mercearias, restaurantes, lanchonetes, mercados e atravessadores. Houve caso de comercialização em mercados de Matinhos, Praia de Leste e Guaratuba. Além de subsidio ao projeto, o dados recolhidos reafirmam a importância do setor da agricultura familiar na produção de alimentos, na geração de trabalho e renda e sugerem sua grande demanda por políticas públicas.

A equipe do projeto Organização Soberana agradece a acolhida por parte de seus(uas) beneficiários(as).

Publicado em Organização Soberana

Dia 1º de julho foi mais uma oportunidade de a Motirõ Sociedade Cooperativa, atravésdoprojeto Organização Soberana, participar de mais um fórum de debate de políticas públicas para o meio rural parnanguara. A ocasião foi a reunião do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural (CMDR) do município de Paranaguá, que contou com a presença de um representante do projeto Organização Soberana, bem como conselheiros do CMDR. A reunião começou pela deliberação sobre os preparativos para as Conferências Regionais de Assistência Técnica e Extensão Rural e a de Segurança Alimentar e Nutricional em Paranaguá e solicitou-se aos(às) participantes que levantassem as demandas do município referentes ao tema. Em seguida realizou-se uma eleição dos(as) representantes para as conferencias.

O próximo tema abordado foi acerca da organização da Caminhada na Natureza, que vem encontrando entraves devido ao atraso em algumas tarefas, como a manutenção das estradas rurais. O secretário justifica que estão ocorrendo dificuldades na operacionalização da demanda por causa da condição climática chuvosa. Haverão voluntários que se dedicarão a trabalhar no evento e seus nomes serão divulgados até o próximo dia 10.

Além de ser abordada a questão da execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) Municipal, todos(as) foram inteirados(as) sobre as atividades do Projeto Organização Soberana. Relataram-se os resultados parciais das saídas de mobilização, as demandas dos(as) agricultores(as) e foi feito um convite para a participação nas oficinas de capacitação. Alguns(mas) agricultores(as) se mostram interessados(as) nas oficinas e perguntam sobre quais seriam oferecidas. A equipe do projeto vêm encontrando dificuldades em agendar as oficinas no período de julho e agosto por causa da quantidade de eventos que os(as) agricultores(as) devem participar no período.

Publicado em Organização Soberana

O projeto Organização Soberana tem buscado construir junto com a APRUMPAR e parceiros de novas oportunidades de mercado. A equipe do projeto tem realizado discussões relacionadas a possibilidades de ampliar o horizonte de entregas de alimentos, realizadas pela APRUMPAR. No entanto foi diagnosticado junto aos associados e extensionistas da EMATER a necessidade de qualificar o serviço relacionado aos programas de aquisição de alimentos, para posteriormente realizar a ampliação dos canais de comercialização.

Durante a assembleia geral ordinária da associação, foi elencado a necessidade de construir um novo espaço para o recebimento e acomodação dos alimentos, com espaços que separem os produtos in-natura dos produto agroindustrializados.

Outro elemento a ser aperfeiçoado é a triagem e logística dos alimentos, visto que no último ano sumiram cerca de 300 caixas plásticas de seus associados. Deste modo, durante o ano de 2016, os associados adotarão como meta, o aperfeiçoamento deste canal de comercialização consolidado, para posteriormente consolidar novos canais de comercialização.

Assim, além de construir um novo barracão para recebimento dos alimentos, serão adotadas novas práticas, na seleção dos produtos a serem entregues, maior rigorosidade na pesagem dos produtos e alto controle na utilização das caixas plásticas.

O ano de 2016 será um ano de reorganização, todavia, os associados visualizaram como positivo a possibilidade de participar do Programa de Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) entregando alimentos em municípios vizinhos. Neste ano o plano de comercialização da APRUMPAR buscará ampliar a entrega de alimentos para Matinhos, município vizinho.

Publicado em Organização Soberana

Domingo, 26 de julho, ocorreu Caminhada da Natureza – Circuito Serra da Prata, cadastrado pelo ANDABRASIL,Confederação Brasileira de esportes Populares, Caminhada na Natureza e Inclusão Social. O evento foi realizado pela APRUMPAR – Associação de Produtores Rurais de Paranaguá, com o apoio do Projeto Organização Soberana desenvolvido pela Motirõ e com a colaboração de vários parceiros como a SEMAPA – Secretaria Municipal da Agricultura, Pesca e Abastecimento, EMATER – Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural, PNSHL- Parque Nacional Saint-Hilaire/Lange, mas principalmente da comunidade rural das colônias Maria Luiza, Quintilha, Pereira, Santa Cruz, Morro Inglês e São Luiz.

O local de concentração e largada da caminhada se deu na igreja católica da Colônia Maria Luiza, onde foram confirmadas cerca de 500inscrições online e realizadas mais de 200 inscrições no local, ultrapassando o numero de 600 participantes. A comunidade serviu aos participantes um delicioso café da manhã no barracão da igreja. O almoço também não ficou atrás, onde mais ospresentesse deliciaram com os sabores da colonia, ao som ao vivo de um grupo de MPB que criou um belíssimo momento de confraternização.

O trajeto da caminhada partiu da Igreja da colônia Maria Luiza até a propriedade Cachoeira Quintilha, totalizando 9,5 km, ida e volta. Durante o trajeto havia três pontos de carimbo para o passaporte dos caminhantes e também barraquinhas de produtores locais vendendo diversos produtos como queijos, geleias, sorvete, manteiga, conservas, pães, bolos e outros, que foram muito bem recebidos e prestigiados. Ao fim da caminhada os produtores que estavam expondo seus produtos ao longo do caminho se concentraram na frente do barracão onde as vendas continuaram. Estima-se que o evento trouxe uma movimentação financeira de aproximadamente R$ 13.000,00para a região.

O resultado da caminhada foi totalmente positivo para os inscritos e principalmente para todos da organização, pois atingiram o objetivo de envolver a comunidade no desenvolvimento de uma ação que traga visibilidade para as colônias, gerando renda local e principalmente divulgando o potencial turístico e dos produtos dos agricultores de Paranaguá.

Créditos: Caroline Mendonça e Elaine Cunha

Publicado em Organização Soberana
Segunda, 03 Agosto 2015 13:39

Equipe Organização Soberana

Equipe Técnica Projeto Organização Soberana

 

Valdenise Batista Veloso

 

Publicado em Institucional
Quarta, 15 Abril 2015 21:23

Organização Soberana

O projeto Organização Soberana contribuirá para o empoderamento de mais de 100 famílias agricultoras da região. O principal enfoque da proposta se dá na atuação junto à Associação de Produtores Rurais de Paranaguá – APRUMPAR, localizada na Colônia Maria Luíza. O Projeto visa potencializar a inclusão produtiva e sustentável e desenvolver processos educativos que promovam o empoderamento dos atores envolvidos. O projeto é composto por ações de assistência técnica produtiva, para aprimorar os processos de comercialização e compartilhar as experiências entre os participantes. Os beneficiários participarão de formações em empreendedorismo social e gestão administrativa e financeira da associação, elencado pelos beneficiários como algumas das principais fraquezas do grupo. O processo de formação de uma organização soberana tem como premissa aprimorar os laços comunitários e as relações de trabalho dos envolvidos, atuando em rede e adotando posturas mais humanas, participativas e menos hierárquicas. Capazes de reconhecer as necessidades de seus membros.

Publicado em Institucional